Thursday, March 12, 2015

Jonathan Cook: The View from Nazareth - Israel’s new Asian allies



ENGLISH
PORTUGUÊS
Jonathan Cook: The View from Nazareth
Jonathan Cook: The View from Nazareth
Israel’s new Asian allies
Novos aliados asiáticos de Israel
24 February 2015
24 de fevereiro de 2015
Mondoweiss – 24 February 2015
Mondoweiss – 24 de fevereiro de 2015
It was another difficult week for Israel.
Foi outra semana difícil para Israel.
In Britain, 700 artists, including many household names, pledged a cultural boycott of Israel, and a leader of the Board of Deputies, the representative body of UK Jews, quit, saying he could no longer abide by its ban on criticising Israel.
Na Grã-Bretanha, 700 artistas, inclusive muitos nomes bem conhecidos, assumiram compromisso de boicote cultural a Israel, e o líder do Board of Deputies, o corpo representativo dos judeus do Reino Unido, pediu demissão, dizendo que não tinha mais como concordar com sua proibição de criticar Israel.
Across the Atlantic, the student body of one of the most prestigious US universities, Stanford, voted to withdraw investments from companies implicated in Israel’s occupation, giving a significant boost to the growing international boycott (BDS) movement.
Do outro lado do Atlântico, o órgão estudantil de uma das mais prestigiosas universidades dos Estados Unidos, Stanford, aprovou a retirada de investimentos em empresas implicadas na ocupação por Israel, dando significativo impulso ao crescente movimento internacional de boicote (BDS).
Meanwhile, a CNN poll found that two-thirds of Americans, and three-quarters of those under 50, believed that US foreign policy should be neutral between Israel and Palestine.
Outrossim, pesquisa da CNN revelou que dois terços dos estadunidenses, e três quartos daqueles abaixo de 50 anos, acreditavam que a política externa dos Estados Unidos deveria ser neutra no tocante a Israel e Palestina.
This drip-drip of bad news, as American and European popular opinion shifts against Israel, is gradually changing the west’s political culture and forcing Israel to rethink its historic alliances.
Esse pinga-pinga de más notícias, à medida que a opinião popular estadunidense e europeia muda para contra Israel, está gradualmente mudando a cultura política do ocidente e forçando Israel a repensar suas alianças históricas.
The deterioration in relations between Israel and the White House is now impossible to dismiss, as Israeli prime minister Benjamin Netanyahu and President Barack Obama lock horns again, this time over negotiations with Iran.
A deterioração de relações entre Israel e a Casa Branca é agora impossível de ser ignorada, pois o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o presidente Barack Obama estão de novo desentendendo-se, desta vez acerca de negociações com o Irã.
The US was reported last week to be refusing to share with Israel sensitive information on the talks, fearful it will be misused. A senior Israeli official described it as like being evicted from the “deluxe guest suite” in Washington. “Astonishing doesn’t begin to describe it,” he said.
Na semana passada corria que os Estados Unidos estavam-se recusando a partilhar com Israel informações delicadas acerca das conversações, temerosos de que pudessem ser usadas indevidamente. Autoridade de alto nível de Israel descreveu o fato como semelhante a ser despejado da “suíte de luxo para convidados” em Washington. “Espantoso é termo que sequer começa a descrever o fato,” disse ele.
The fall-out is spreading to the US Congress, where for the first time Israel is becoming a partisan issue. A growing number of Democrats have declared they will boycott Netanyahu’s address to the Congress next month, when he is expected to try to undermine the Iran talks.
As rebarbas estão-se espalhando até o Congresso dos Estados Unidos onde, pela primeira vez, Israel está-se tornando questão partidária. Crescente número de Democratas já declarou que boicotará o discurso de Netanyahu no Congresso mês que vem, quando, há expectativa, ele tentará solapar as conversações com o Irã.
Things are more precarious still in Europe. Several leading parliaments have called on their governments to recognise Palestinian statehood, and France rocked Israel by backing just such a resolution recently in the UN Security Council.
As coisas estão ainda mais precárias na Europa. Diversos líderes parlamentares já pediram a seus governos que reconheçam condição de estado da Palestina, e a França abalou Israel ao apoiar tal resolução recentemente no Conselho de Segurança da ONU.
Europe has also begun punishing Israel for its intransigence towards the Palestinians. It is labelling settlement products and is expected to start demanding compensation for its projects in the occupied territories destroyed by the Israeli army.
A Europa também começou a punir Israel por sua intransigência em relação aos palestinos. Está rotulando produtos dos assentamentos e há expectativa de que comece a pedir indenizações por seus projetos nos territórios ocupados destruídos pelo exército israelense.
This month 63 members of the European Parliament went further, urging the European Union to suspend its “association agreement”, which allows Israel unrestricted trade and access to special funding.
Este mês 63 membros do Parlamento Europeu foram além, urgindo a União Europeia a suspender seu “acordo de associação”, que permite a Israel comércio irrestrito e acesso a financiamento especial.
None of this has gone unnoticed in Israel. A classified report by the foreign ministry leaked last month paints a dark future. It concludes that western support for the Palestinians will increase, the threat of European sanctions will grow, and the US might even refuse to “protect Israel with its veto” at the UN.
Nada disso deixou de ser percebido em Israel. Relatório secreto do ministério do exterior vazado no mês passado delineia futuro desanimador. Conclui que apoio ocidental aos palestinos aumentará, a ameaça de sanções europeias crescerá, e os Estados Unidos poderão até recusar-se a “proteger Israel com seu veto” nas Nações Unidas.
Israel is particularly concerned about the economic impact, given that Europe is its largest trading partner. Serious sanctions could ravage the economy.
Israel está particularmente preocupado com o impacto econômico, dado que a Europa é seu maior parceiro comercial. Sanções sérias poderiam causar estrago na economia.
One might assume that, faced with these drastic calculations, Israel would reconsider its obstructive approach to peace negotiations and Palestinian statehood. Not a bit of it.
Poder-se-ia esperar que, diante dessa drástica avaliação de riscos, Israel reconsiderasse sua abordagem destrutiva das negociações de paz e de estado palestino. Longe disso.
Netanyahu’s officials blame the crisis with Washington on Obama, implying that they will wait out his presidency for better times to return.
As autoridades de Netanyahu culpam Obama pela crise com Washington, implicando que esperarão ele deixar o cargo para que tempos melhores voltem.
As for Europe, Netanyahu blames the shift there on what he calls “Islamisation”, suggesting that Europe’s growing Muslim population is holding the region’s politicians to ransom. On this view, the price paid for the recent terror attacks in Paris and Copenhagen is Europe’s support for Israel.
Quanto à Europa, Netanyahu culpa a mudança ali no tocante ao que ele chama de “islamização”, sugerindo que a crescente população muçulmana da Europa está mantendo reféns os políticos da região. Desse ponto de vista, o preço pago por recentes ataques terroristas em Paris e Copenhagen é o apoio da Europa a Israel.
Instead, Netanyahu has begun looking elsewhere for economic – and ultimately political – patrons.
Como alternativa, Netanyahu começou a olhar alhures por outros patrocinadores econômicos - e, em última análise, políticos.
In doing so, he is returning to an early Israeli tradition. The state’s founders were inspired by the collectivist ideals of the Soviet Union, not US individualism. And in return for attacking Egypt in 1956, Israel was secretly helped by Britain and France to build nuclear weapons over stiff US opposition.
Em o fazendo, ele está retornando a antiga tradição israelense. Os fundadores do estado foram inspirados pelos ideais coletivistas da União Soviética, não pelo individualismo dos Estados Unidos. E, em troca de atacar o Egito em 1956, Israel foi secretamente ajudado por Grã-Bretanha e França para construir armas nucleares, superando rígida oposição dos Estados Unidos.
In response to recent developments, Netanyahu announced last month that he was courting trade with China, India and Japan – comprising nearly 40 per cent of the planet’s population.
Em resposta aos recentes desdobramentos, Netanyahu anunciou, no mês passado, que estava tentando comércio com China, Índia e Japão - compreendendo cerca de 40 por cento da população do planeta.
Last year, for the first time, Israel did more trade with these Asian giants than with the US. Much of it focused on the burgeoning arms market, with Israel supplying nearly $4 billion worth of weapons in 2013. A region once implacably hostile to Israel is throwing open its doors.
No ano passado, pela primeira vez, Israel teve mais comércio com aqueles gigantes asiáticos do que com os Estados Unidos. Muito dele focado no crescente mercado de armas, com Israel fornecendo perto de $4 biliões de dólares de armas em 2013. Região no passado implacavelmente hostil a Israel está escancarando suas portas.
India, plagued by border tensions with Pakistan and China, is now Israel’s largest arms purchaser – and such trade is expected to expand further following the election last year of Narendra Modi, known for his anti-Muslim views.
A Índia, afligida por tensões com Paquistão e China por causa de fronteiras, é agora a maior compradora de armas de Israel - e há expectativa de que tal comércio se expanda mais depois da eleição do ano passado de Narendra Modi, conhecido por seus pontos de vista antimuçulmanos.
He has lifted the veil off India’s growing defence cooperation with Israel, one reason why Moshe Yaalon last week became the first Israeli defence minister to make an official visit.
Ele removeu o véu que obstava crescente cooperação de defesa com Israel, uma das razões pelas quais, na semana passada, Moshe Yaalon tornou-se o primeiro ministro da defesa israelense a fazer visita oficial.
Ties between Israel and China are deepening rapidly too. Beijing has become Israel’s third largest trading partner, while Israel is China’s second biggest supplier of military technology after Russia.
Laços entre Israel e China também estão-se aprofundando rapidamente. Beijing tornou-se o terceiro maior parceiro comercial de Israel, enquanto Israel é o segundo maior fornecedor de tecnologia militar para a China, logo depois da Rússia. 
Last month the two signed a three-year cooperation plan, with China keen to exploit – in addition to Israel’s military hardware – its innovations on solar energy, irrigation and desalination.
No mês passado os dois países assinaram plano trienal de cooperação, com a China desejosa de explorar - além do equipamento militar israelense - as inovações daquele país em energia solar, irrigação e dessalinização.
Emmanuel Navon, an international relations expert at Tel Aviv University, claims that, despite its poor public image, Israel now enjoys a “global clout” unprecedented in its history.
Emmanuel Navon, especialista em relações internacionais da Universidade de Tel Aviv, afirma que, a despeito de imagem pública ruim, Israel agora goza de “poder e influência globais” sem precedentes em sua história.
Israel’s immediate goal is to future-proof itself economically against mounting popular pressure in Europe and the US to act in favour of the Palestinian cause.
O objetivo imediato de Israel é assegurar-se economicamente de modo a resistir, no futuro, a crescente pressão popular em Europa e Estados Unidos para ações em favor da causa palestina. 
But longer term Israel hopes to convert Chinese and Indian dependency on Israeli armaments – based on technology it tests and refines on a captive Palestinian population – into diplomatic cover. One day Israel may be relying on a Chinese veto at the UN, not a US one.
O Israel de longo prazo, contudo, espera converter a dependência chinesa e indiana de armamentos israelenses - baseados em tecnologia que testa e refina em população palestina cativa - em cobertura diplomática. Um dia Israel poderá contar com veto da China nas Nações Unidas, não dos Estados Unidos.



No comments:

Post a Comment