Wednesday, July 31, 2013

FFF - Hornberger's Blog - Why No Oswald Treatment for the Leakers?



ENGLISH
PORTUGUÊS
The Future of Freedom Foundation
A Fundação Futuro de Liberdade
HORNBERGER’S BLOG
O BLOG DE HORNBERGER
Why No Oswald Treatment for the Leakers?
Por Que Não Tratamento Oswald para os Vazadores?
July 24, 2013
24 de julho de 2013
I’ll bet that not one single American is surprised about the U.S. government’s actions against leakers Edward Snowden, Bradley Manning, and John Kiriakou. What the U.S. national-security state is doing to them is exactly what all of us would expect them to do.
Sou capaz de apostar que nenhum estadunidense está surpreso com as ações do governo dos Estados Unidos contra os vazadores Edward Snowden, Bradley Manning, e John Kiriakou. O que o estado de segurança nacional dos Estados Unidos está fazendo a eles é exatamente o que todos nós esperávamos que fizesse.
They’re aiming to lock Manning up for the rest of his life for leaking information that, at worst, embarrassed the U.S. government by exposing its extreme brutality and hypocrisy. They’re licking their chops at the prospect of grabbing Snowden and whisking him away to some torture chamber and prison camp to serve a life sentence or possibly a death sentence, for revealing the national-security state’s massive secret surveillance scheme on the American people and on much of the rest of the world. They’ve already locked away former CIA agent John Kiriakou for 30 months for disclosing the identity of a CIA torturer to a member of the press.
Está procurando trancafiar Manning pelo resto da vida dele por vazar informações que, na pior das hipóteses, deixaram embaraçado o governo dos Estados Unidos ao expor a extrema brutalidade e hipocrisia dele. Está lambendo os beiços diante da perspectiva de agarrar Snowden e escafedê-lo para alguma câmara de tortura e acampamento prisional para cumprir sentença vitalícia ou possivelmente sentença de morte, por revelar o maciço esquema do estado de segurança nacional de escuta do povo estadunidense e de grande parte do resto do mundo. Já trancafiou o ex-agente da CIA John Kiriakou durante 30 meses por ele revelar a identidade de um torturador da CIA a um membro da imprensa.
None of this is surprising. When it comes to the dark and nefarious secrets of the national-security state, national-security state officials believe that it is necessary not only to severely punish those who disclose such secrets but, more important, to send a harsh message to every would-be leaker who is contemplating responding to the dictates of his conscience in a similar way: “Do the same and this is what will happen to you.”
Nada disso é surpreendente. Quando se trata dos tenebrosos e abomináveis segredos do estado de segurança nacional, as autoridades do estado de segurança nacional acreditam ser indispensável não apenas punir severamente aqueles que revelam tais segredos como, mais importante, mandar mensagem severa a todo vazador em perspectiva que esteja cogitando de corresponder aos ditames de sua consciência de maneira análoga: “Faça o mesmo e isso é o que acontecerá com você.”
But then the obvious question arises: Why didn’t the national-security state treat Lee Harvey Oswald in the same way?
Em seguida, porém, a pergunta óbvia se faz presente: Por que o estado de segurança nacional não tratou Lee Harvey Oswald do mesmo modo?
After all, what Oswald did was seemingly far worse than what Snowden, Manning, and Kiriakou have done.
Afinal de contas, o que Oswald fez foi aparentemente muito pior do que o que Snowden, Manning, e Kiriakou fizeram.
Think about it: Here we have a member of the U.S. Marine Corps, a branch of the military service that exudes the type of patriotism that the national-security state stands for.  Before he leaves the service, Oswald begins to openly express his devotion to Marxism, even learning fluent Russian while still in the service. In fact, Oswald is so open and flagrant about his communist convictions that his Marine buddies start calling him “Oswaldovich.”
Pensemos: Aqui temos membro do Corpo de Marines dos Estados Unidos, ramo do serviço militar que exuda o tipo de patriotismo que o estado de segurança nacional personifica. Antes de dar baixa, Oswald começa a abertamente expressar sua devoção ao marxismo, chegando a aprender russo fluente quando ainda em serviço. Na verdade, Oswald é tão aberto e conspícuo no tocante a suas convicções comunistas que seus colegas Marines começam a chamá-lo de “Oswaldovich.”
Yet, what does the U.S. military do about this communist within their midst?
Nada obstante, o que a instituição militar dos Estados Unidos faz a respeito desse comunista em seu meio?
Nothing! Nothing at all, notwithstanding the fact that this self-avowed communist is right square dab in the middle of the U.S. national security state’s military forces during a period of U.S. history when U.S. officials were more scared and paranoid about communists than they are today about terrorists.
Nada! Absolutamente nada, apesar do fato de esse comunista confesso estar plantado bem no meio das forças militares do estado de segurança nacional dos Estados Unidos durante um período da história dos Estados Unidos quando as autoridades dos Estados Unidos estavam mais apavoradas e paranoicas em relação aos comunistas do que hoje estão em relação aos terroristas.
Oswald leaves the service with an early discharge based on his claim that his ailing mother needed his assistance. It was a lie. Soon after leaving the service, he travels to the Soviet Union in 1959 where he attempts to give up his American citizenship and defect to the Soviet communists. He surrenders his American passport to the U.S. consul in Moscow and tells the consul that he is defecting to the Soviet Union owing to his passionate commitment to Marxism.
Oswald deixa o serviço com baixa antecipada com base na asseveração dele de que sua mãe enferma precisava de sua assistência. Era mentira. Logo depois de deixar o serviço, viaja para a União Soviética em 1959 onde tenta livrar-se de sua cidadania estadunidense e desertar para os comunistas soviéticos. Entrega seu passaporte ao cônsul dos Estados Unidos em Moscou e diz ao cônsul estar desertando para a União Soviética por causa de seu apaixonado compromisso com o marxismo.
More important, Oswald tells the U.S. consul that he intends to disclose to the Soviets information that he acquired during his military service. It’s not an idle boast, given that Oswald was stationed at the U.S. base in Japan from which the top-secret spy plane known as the U-2 was based — and where Oswald had an extremely high security clearance.
Mais importante, Oswald diz ao cônsul dos Estados Unidos que pretende revelar aos soviéticos informações que adquirira durante seu serviço militar. Não é vã jactância, dado que Oswald estava acantoado na base dos Estados Unidos no Japão onde o avião espião de segredo máximo conhecido como U-2 estava baseado — e onde Oswald gozava de nível de acesso de segurança extremamente elevado.
As a matter of fact, it was only a few months after Oswald got to Russia that the U-2 spy plane piloted by Gary Powers was shot down over Soviet skies, after U.S. officials had repeatedly said that the Soviets lacked the capability of doing so.
Na verdade, poucos meses depois da ida de Oswald para a Rússia o avião espião U-2 pilotado por Gary Powers foi derrubado em céus soviéticos, depois de autoridades dos Estados Unidos terem repetidamente dito que os soviéticos não tinham capacidade para fazer aquilo.
What happens to Oswald when he decides that he’s had enough of life under communism and wants to return to the United States?
O que acontece com Oswald quando conclui estar cansado da vida no comunismo e deseja voltar aos Estados Unidos?
Nothing! Nothing at all happens to him!
Nada! Absolutamente nada acontece a ele!
Did he get the Snowden treatment? The Manning treatment? The Kiriakou treatment?
Foi a ele ministrado o tratamento dado a Snowden? O tratamento administrado a Manning? O tratamento aplicado a Kiriakou?
Nope! None of that! Unlike Snowden, whose passport has been cancelled by U.S. officials, Oswald had his passport returned to him by the U.S. consulate in Russia. All was forgiven. The defection never officially happened.
Nem pensar! Nada disso! Diferentemente de Snowden, cujo passaporte foi cancelado pelas autoridades dos Estados Unidos, Oswald teve seu passaporte devolvido a ele pelo consulado dos Estados Unidos na Rússia. Tudo foi perdoado. A deserção nunca aconteceu oficialmente.
Indeed, they even gave Oswald a loan to help him—and his Russian wife—return to the United States!
Na verdade, deram a Oswald até um empréstimo para ajudá-lo — e a sua mulher russa — a voltar para os Estados Unidos!
What about the classified information that Oswald might have given to the Soviets, information that might have helped the Soviets bring down that U-2 spy plane? We don’t know because they didn’t arrest him, kidnap him, rendition him, torture him, interrogate him, harangue him, incarcerate him, or even subpoena him to a federal grand jury to testify, much less bring criminal charges against him for treason, breach of his secrecy oath, and his false official statement to the U.S. Marine Corps.
E quanto às informações secretas que Oswald pudesse ter dado aos soviéticos, informações que pudessem ter ajudado os soviéticos a derrubar aquele avião espião U-2? Não sabemos, porque eles não o detiveram, não o sequestraram, não o cederam extrajudicialmente, não o torturaram, não o interrogaram, não lhe fizeram sermões, não o encarceraram, e nem sequer o intimaram a comparecer a um júri de instrução federal para testemunhar, muito menos suscitaram acusações criminais contra ele por traição, quebra de seu juramento de segredo, e sua afirmação oficial falsa ao Corpo de Marines.
They didn’t touch him. In what has to be considered the biggest political miracle in the history of the Cold War, this self-avowed communist and attempted defector to the Soviet Union and purported leaker of classified information to the Soviet communists, is permitted to saunter back on the American scene without being touched by the U.S. national-security state.
Não tocaram nele. No que tem de ser considerado o maior milagre político da história da Guerra Fria, a esse comunista confesso que tentou desertar para a União Soviética, suposto vazador de informações secretas para os comunistas soviéticos, é permitido saracotear de volta para o cenário estadunidense sem ser tocado pelo estado de segurança nacional dos Estados Unidos.
Of course, one might say that Oswald’s actions took place in a different time, long before the much-ballyhooed “war on terrorism.”
Obviamente, alguém poderia dizer que as ações de Oswald tiveram lugar em época diferente, muito antes da muito trombeteada “guerra ao terrorismo.”
Are you kidding? Oswald’s purported defection to the communists took place at the height of the Cold War. This was the period of time when national-security state officials had a much deeper fear of communists and communism than they do today of terrorists and terrorism. Why, they were convinced that the communists were coming to get us any day. That’s why they were searching for communists in the army, the State Department, and even in Hollywood. That’s why they imposed a cruel and inhumane economic embargo on Cuba, engaged in terrorism in Cuba, and tried repeatedly to assassinate Fidel Castro. That’s why they concocted the fake and false justification at the Gulf of Tonkin for invading Vietnam and bombing North Vietnam.
Vocês estão brincando? A suposta defecção de Oswald para os comunistas teve lugar no ápice da Guerra Fria. Foi no período de tempo quando as autoridades do estado de segurança nacional tinham temor muito mais profundo dos comunistas e do comunismo do que dos terroristas e do terrorismo de hoje. Elas achavam que os comunistas estavam vindo para pegar-nos a qualquer momento. Eis porque procuravam comunistas no exército, no Departamento de Estado, e até em Hollywood. Eis porque impuseram cruel e desumano embargo a Cuba, lançaram-se a terrorismo em Cuba, e tentaram repetidamente assassinar Fidel Castro. Eis porque urdiram a justificativa falsa e fajuta do Golfo de Tonquim para invadirem o Vietnã e bombardear o Vietnã do Norte.
They were convinced that communism posed a grave threat to “national security” and, as the ultimate guardians of “national security,” they were set on doing whatever was necessary to protect the United States from communism, which they considered dangerous and contagious. (Ironically, soon after President Kennedy was assassinated, the U.S. government, under the leadership of President Lyndon Johnson, enacted Medicare and Medicaid, two major socialist programs that are core components of the socialist systems in communist countries.)
Estavam convencidas de que o comunismo representava grave ameaça à “segurança nacional” e, como guardiãs últimas da “segurança nacional,” estavam decididas a fazer o que fosse necessário para proteger os Estados Unidos do comunismo, que consideravam perigoso e contagioso. (Ironicamente, logo depois que o Presidente Kennedy foi assassinado, o governo dos Estados Unidos, sob a liderança do Presidente Lyndon Johnson, criou o Programa de Saúde para Idosos - Medicare e o Programa de Saúde para Carentes - Medicaid, dois grandes programas socialistas que são componentes de âmago dos sistemas socialistas em países comunistas.)
Indeed, don’t forget that they actually executed Julius and Ethel Rosenberg for delivering classified information relating to the atomic bomb to the Soviets.
Com efeito, não nos esqueçamos de que elas na verdade executarm Julius e Ethel Rosenberg por entregarem informações secretas relacionadas com a bomba atômica aos soviéticos.
So, why the nice-guy treatment for Oswald?
Assim sendo, por que esse tratamento cavalheiresco dispensado a Oswald?
And let’s not forget that after his return to the United States, Oswald associated himself with the Fair Play for Cuba Committee, which included many communist sympathizers, and which was targeted for infiltration and destruction by both the CIA and the FBI. Let’s also not forget that Oswald was caught delivering pro-communist literature to American servicemen in New Orleans, with nary a concern by U.S. national-security state officials, many of whom were concentrated in the same section of New Orleans where Oswald worked.
E não nos permitamos esquecer que, depois de seu retorno aos Estados Unidos, Oswald vinculou-se à Comissão de Tratamento Equânime para Cuba, que incluía muitos simpatizantes do comunismo, e era visada para infiltração e destruição tanto pela CIA quanto pelo FBI. Não nos esqueçamos também de que Oswald foi flagrado entregando literatura pró-comunista a militares estadunidenses em New Orleans, sem nenhuma preocupação em relação às autoridades do estado de segurança nacional dos Estados Unidos, muitas das quais estavam concentradas na mesma secção de New Orleans onde Oswald trabalhava.
What about Oswald’s visit to Mexico City in September 1963, where he met with Soviet and Cuban officials with the purported attempt to return to the Soviet Union via Cuba? Those visits were closely monitored by the CIA.
E quanto à visita de Oswald à Cidade do México em setembro de 1963, onde encontrou-se com autoridades soviéticas e cubanas com suposta intenção de voltar à União Soviética via Cuba? Essas visitas foram estreitamente monitoradas pela CIA.
Did they then kidnap him, arrest him, rendition him, interrogate him, torture him, assassinate him, or indict him?
E então, as autoridades o sequestraram, detiveram, cederam extrajudicialmente, interrogaram, torturaram, ou indiciaram?
Nope. They didn’t lay a finger on him. They just let him return to Dallas and look for a new job.
Não. Não encostaram um dedo nele. Apenas o deixaram voltar a Dallas e procurar novo emprego.
Why? When we see how full of anger and rage they get against leakers like Snowden, Manning, and Kiriakou, we can’t help but ask: Why not the same anger, rage, and thirst for vengeance against an American who claimed to be an avowed communist, one who supposedly shamed the Marine Corps, one who purportedly defected to the Soviet Union, and one who presumably disclosed to the Soviet Union top-secret, classified information he acquired while in the military service — all at the height of the Cold War, a war that the U.S. national-security state was waging against America’s World War II partner and ally, the Soviet Union?
Por quê? Quando vemos o quanto as autoridades ficam cheias de ira e furor quando se lançam contra vazadores como Snowden, Manning e Kiriakou, não podemos deixar de perguntar: Por que não a mesma ira, furor, e sede de vingança contra um estadunidense que afirmava ser confesso comunista, que teria envergonhado o Corpo de Marines, e que supostamente desertara para a União Soviética, e que presumivelmente revelara informações de segredo máximo para a União Soviética que adquirira quando no serviço militar — tudo no ápice da Guerra Fria, guerra que o estado de segurança nacional dos Estados Unidos levava a efeito contra a parceira e aliada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, a União Soviética?
One possible explanation for this enormous disparity in treatment lies in the following excerpts of a Top Secret session of the Warren Commission, a session that U.S. officials fought fiercely to keep secret from the American people, a session whose transcript was supposed to be destroyed but which finally came to light in the 1970s as a result of a Freedom of Information lawsuit filed by assassination researcher Harold Weisberg. (To read the transcript of the entire session, click here.)
Possível explicação para essa enorme disparidade de tratamento encontra-se nos seguintes excertos de uma sessão de Segredo Máximo da Comissão Warren, sessão que as autoridades dos Estados Unidos lutaram ferozmente para manter secreta em relação ao povo estadunidense, sessão cuja transcrição deveria ser destruída mas finalmente veio à luz nos anos 1970 como resultado de um processo de Liberdade de Informação movido pelo pesquisador de assassínios Harold Weisberg. (Para ler a transcrição da sessão inteira, clique aqui.)
Gentlemen: I called this meeting of the Commission because of something that developed today that I thought every member of the Commission should have knowledge of, something that you shouldn’t hear from the public before you had an opportunity to think about it….
Senhores: Convoquei esta reunião da Comissão por causa de algo que se desenrolou hoje que achei todo membro da Comissão dever ter conhecimento, algo que os senhores não deverão ouvir do público antes de terem oportunidade de pensar a respeito….
Mr. Rawkin: Mr Wagner Carr, the Attorney General of Texas, called me at 11:10  this morning and said that word had come out, he wanted to get it to me at the first moment, that Oswald was working as an FBI undercover Agent, and that they had the information of his badge which was given as Number 179, and that he was paid two hundred a month from September of 1962 up through the time of the assassination….
Sr. Rawkin: O Sr Wagner Carr, Secretário de Justiça do Texas, telefonou-me às 11:10 desta manhã e disse estar-se comentando, ele desejava trazer isso a mim no primeiro momento, que Oswald estava trabalhando como agente secreto do FBI, e haviam tido informação de seu distintivo que lhe fora dado como de Número 179, e ele havia recebido duzentos por mês de setembro de 1962 até à hora do assassínio….
***
***
Boggs: ….And of course we are all gaining in the realm of speculation. I don’t even like to see this being taken down.
Boggs: ….E obviamente estamos todos no reino da especulação. Nem sequer gosto de ver isso sendo escrito.
Dulles: Yes, I think this record should be destroyed. Do you think we need a record of this?
Dulles: Sim, acho que esse registro deve ser destruído. Vocês acham que precisamos registro disso?
That of course would also explain the cryptic remark by Oswald, who was claiming that he was being framed, during his interrogation by the Dallas police: “Everybody will know who I am now.”
Isso naturalmente explicaria também a críptica observação de Oswald, que dizia estar sendo vítima de armação, durante seu interrogatório pela polícia de Dallas: “Agora todo mundo saberá quem sou.”
This post was written by: Jacob G. Hornberger
Jacob G. Hornberger is founder and president of The Future of Freedom Foundation. He was born and raised in Laredo, Texas, and received his B.A. in economics from Virginia Military Institute and his law degree from the University of Texas. He was a trial attorney for twelve years in Texas. He also was an adjunct professor at the University of Dallas, where he taught law and economics. In 1987, Mr. Hornberger left the practice of law to become director of programs at the Foundation for Economic Education. He has advanced freedom and free markets on talk-radio stations all across the country as well as on Fox News’ Neil Cavuto and Greta van Susteren shows and he appeared as a regular commentator on Judge Andrew Napolitano’s show Freedom Watch. View these interviews at LewRockwell.com and from Full Context. Send him email.
Esta afixação foi escrita por: Jacob G. Hornberger
Jacob G. Hornberger é fundador e presidente da Fundação Futuro de Liberdade. Nasceu e foi criado em Laredo, Texas, e recebeu seu diploma de bacharel em economia do Instituto Militar da Virgínia, e seu diploma de advogado da Universidade do Texas. Foi advogado de defesa em tribunal durante doze anos no Texas. Também foi professor adjunto na Universidade de Dallas, onde ensinou direito e economia. Em 1987 o Sr. Hornberger deixou a prática jurídica para tornar-se diretor de programas na Fundação de Educação Econômica. Ele tem promovido liberdade e livres mercados em estações de programas de entrevistas em todo o país, bem como nos programas da Fox News de Neil Cavuto e Greta van Susteren, e participou como comentador regular no programa do Juiz Andrew Napolitano Observatório da Liberdade. Veja essas entrevistas em LewRockwell.com e a partir de Full Context. Envie-lhe email.





Monday, July 29, 2013

C4SS - What Makes Bradley Manning a Hero?



ENGLISH
PORTUGUÊS
CENTER FOR A STATELESS SOCIEY
CENTRO POR UMA SOCIEDADE SEM ESTADO
A Left Market Anarchist Think Tank and Media Center
Centro de Políticas e de Mídia Esquerdista Anarquista de Mercado
Commentary
Comentário
What Makes Bradley Manning a Hero?
O Que Torna Bradley Manning Herói?
Darian Worden | July 21st, 2010
Darian Worden | 21 de julho de 2010
On Wednesday, July 21, members of the Facebook group savebradley encouraged supporters to change their profile pictures to say “Google Bradley Manning.” The group hopes to raise public interest in the US Army soldier who was arrested in connection to the appearance of classified material on the website Wikileaks.
Na quarta-feira, 21 de julho, membros do grupo do Facebook savebradley estimularam apoiadores a mudar suas fotos de perfil para dizerem “Google Bradley Manning.” O grupo espera suscitar interesse público no soldado do Exército dos Estados Unidos que foi detido em conexão com o aparecimento de material secreto no website Wikileaks.
The material that Manning is in trouble for leaking includes footage of American helicopter crews eagerly gunning down Iraqi civilians, including the occupants of a van attempting to carry away wounded people. The giggling murderers caught on tape do not appear to have suffered any official consequences, but the soldier who exposed the killings to public scrutiny has been arrested.
O material em razão do qual Manning está encrencado por vazar inclui sequência com tripulantes de helicópteros estadunidenses atirando avidamente em civis iraquianos, inclusive em ocupantes de uma van que tentava levar embora pessoas feridas. Os assassinos gargalhantes flagrados na fita não parecem ter sofrido quaisquer consequências oficiais, mas o soldado que expôs os assassínios ao escrutínio do público foi detido.
Manning’s increasing disillusionment with the Army was punctuated by episodes including his discovery that Iraqis had been arrested for criticizing corruption in the Prime Minister’s cabinet. After he brought the issue to his officers he was told to shut up and get more detainees. Eventually, in the face of court martial and the harshest “military justice,” Manning allegedly decided to release classified information to Wikileaks.
A crescente desilusão de Manning com o Exército foi pontilhada de episódios que incluíram a descoberta, por ele, de iraquianos terem sido detidos por criticar corrupção no gabinete do Primeiro-Ministro. Depois de ele ter levado o problema a seus superiores, foi-lhe dito que calasse a boca e fizesse mais detenções. Finalmente, em face de corte marcial e da mais dura “justiça militar,” Manning teria decidido entregar informações secretas ao Wikileaks.
Problems arose when he discussed his actions with the wrong person. Adrian Lamo, deciding to take the side of occupation and murder cover-ups, provided investigators with records of communications in which Manning allegedly discussed his law-breaking.
Surgiram problemas quando ele conversou a respeito de seus próprios atos com a pessoa errada. Adrian Lamo, havendo decidido tomar o lado da ocupação e dos encobrimentos de assassínios, forneceu a investigadores registros de comunicações nos quais Manning teria discutido sua violação da lei.
So Manning felt a need to talk. Maybe even to brag to someone. This was a tactical error that doesn’t make his actions any less honorable. Are people only to act selflessly and negate pride and ambition? Nobody meets this standard. Manning just failed to exercise proper judgment.
Portanto, Manning sentiu necessidade de conversar. Talvez até de vangloriar-se para alguém. Foi erro tático que não torna suas ações em nada menos honoráveis. As pessoas deveriam apenas agir altruisticamente e negarem orgulho e ambição? Ninguém se enquadra em padrão assim. Manning apenas deixou de exercer avaliação adequada.
Detractors have tried to invalidate Manning’s actions by claiming that he had psychological problems or saying that he was in trouble for assaulting another soldier. If someone is unable to hold himself together while figuring out the right thing to do, it only shows that he wasn’t strong enough to prevail all of the time against forces that yanked at his conscience. And who is rational all of the time anyway?
Detraidores têm tentado invalidar as ações de Manning afirmando que ele tinha problemas psicológicos ou dizendo que ele estava encrencado por agredir outro soldado. Se alguém não conseguir manter-se composto enquanto concebe a coisa certa a fazer, isso apenas mostrará essa pessoa não ser forte o suficiente para controlar o tempo todo forças que abalam sua consciência. E, de qualquer modo, quem é racional o tempo todo?
As for allegations of assault, Manning was in a profession with the explicit purpose of doing violence. If he used violence inappropriately, the best thing to do would be to try to make restitution and redeem himself. Exposing the violence the system tries to hide seems a good step towards this goal.
Quanto a alegações de agressão, Manning exercia profissão cujo propósito explícito é praticar violência. Se usou de violência inadequadamente, a melhor coisa a fazer seria tentar fazer restituição e redimir-se. Expor a violência que o sistema tenta ocultar parece bom passo rumo a esse objetivo.
Why shouldn’t Manning have been angry at the system and those knowingly complicit in it? If oppression wasn’t so infuriating, it might never be fought against.
Por que não deveria Manning estar irado com o sistema e com aqueles sabidamente cúmplices dele? Se a opressão não fosse tão causadora de fúria, poderia nunca vir a ser combatida.
Everybody must deal with stress and everybody makes mistakes. A hero is not someone without weakness. A hero is someone who manages to do the right thing in spite of his weaknesses.
Todo mundo tem de lidar com a ansiedade e todo mundo comete equívocos. O herói não é alguém sem fraquezas. Herói é quem consegue fazer a coisa certa a despeito de suas fraquezas.
Manning realized the tyranny of an organization he played an active part in. Instead of force-feeding himself more propaganda or eating his gun, he did something positive about it.
Manning entendeu a tirania da organização dentro da qual desempenhava parte ativa. Em vez de forçar-se a engolir mais propaganda ou de cometer suicídio, fez algo positivo a respeito.
As Henry David Thoreau said in Civil Disobedience, “Must the citizen ever for a moment, or in the least degree, resign his conscience to the legislator? Why has every man a conscience, then?”
Como disse Henry David Thoreau em Desobediência Civil, “Tem o cidadão, mesmo por um momento, ou no grau mais mínimo, de abrir mão de sua consciência em favor do legislador? Mas então por que todo homem tem consciência?”
Bradley Manning did not resign his conscience to his officers or to policy makers.
Bradley Manning não abriu mão de sua consciência em favor de seus superiores ou de formuladores de políticas.
His moral choice provides an example for others to look to. If more soldiers, commanders, and politicians took responsibility for their actions and honestly evaluated the claims of authority that have been battered into them since birth, the world would be much better.
Sua escolha moral oferece exemplo no qual outros se inspirarem. Se mais soldados, comandantes e políticos assumissem responsabilidade por suas ações e honestamente avaliassem as reivindicações de autoridade neles marteladas desde o nascimento, o mundo seria muito melhor.
Holding heroes to an unrealistic standard of perfection means idolizing lies. The truth is, nobody is that great. Some overcome their flaws to do great things. When Bradley Manning found that he was complicit in the violent suppression of freedom, he did the best he could to make things right.
Alçar heróis até padrão irrealista de perfeição é o mesmo que idolatrar mentiras. A verdade é, ninguém é tão nobre. Algumas pessoas elevam-se acima de suas próprias falhas e fazem grandes coisas. Quando Bradley Manning descobriu ser cúmplice na violenta supressão da liberdade, fez o melhor que pôde para endireitar as coisas.
And now he sits in a jail cell while those who make the policies of death sleep comfortably.
E agora queda numa cela de prisão enquanto aqueles que formulam as políticas da morte dormem confortavelmente.